Retenção na fonte 2022

retenção na fonte 2022

Quais são as taxas de retenção na fonte em 2022?

As taxas de retenção na fonte em 2022 foram atualizadas, refletindo a subida do salário mínimo para os 705 euros mensais. Assim, o valor a partir do qual se começa a descontar IRS passa dos 686 euros (valor de 2021) para os 710 euros mensais brutos, sendo que os limites dos intervalos dos v ários escalões também foram atualizados.

Quais os escalões da isenção de retenção na fonte em 2022?

No que à tabela relativa aos trabalhadores dependentes não casados diz respeito, em 2022, além de a isenção de retenção na fonte passar para vencimentos até 710 euros, os escalões para atualização da taxa passam a ser de 710, 720, 740 e 754 (em vez dos anteriores 686, 718 e 739), mantendo-se a partir do escalão dos 814 euros.

Como funciona a retenção na fonte?

A retenção na fonte é uma taxa que as Finanças aplicam aos rendimentos dos pensionistas e aos salários dos contribuintes que trabalham por conta de outrem. Os trabalhadores independentes também podem fazer retenção na fonte, mas com outras regras. O valor correspondente a essa taxa é pago logo no momento em que o recibo é emitido.

Qual o valor da taxa de retenção 2021?

Taxa de retenção 2021: 10,8%: Valor retenção mensal 2020: € 121,00: Valor retenção mensal 2021: € 118,80: Valor a mais no seu salário líquido mensal em 2021: € 2,20

Quais são as novas tabelas de retenção na fonte de imposto de renda 2022?

Há novas tabelas de retenção na fonte de IRS em 2022, para trabalhadores dependentes, a aplicar aos rendimentos mensais a partir de 1 de março. As tabelas agora publicadas não têm efeitos retroativos a janeiro.

Quando as taxas de retenção na fonte foram atualizadas?

As taxas de retenção na fonte foram atualizadas em 2022. Veja se as novas tabelas trazem boas notícias para o seu bolso. Se tem rendimentos de trabalho ou de pensões, já deve conhecer o termo retenção na fonte.

Quando sai a tabela de retenção na fonte de IRS?

As tabelas de retenção na fonte de IRS a vigorar em 2022 foram originalmente publicadas a 2 de dezembro de 2021, de modo a refletir a atualização do salário mínimo. Entretanto, a 24 de janeiro de 2022, as tabelas de retenção na fonte de IRS foram corrigidas.

Quando será aplicada a tabela de retenção na fonte?

O Ministério das Finanças publicou esta quinta-feira as novas tabelas de retenção na fonte que serão aplicadas, a partir de março, aos rendimentos do trabalho dependente, que pode consultar abaixo.

Como funciona a isenção de retenção na fonte?

A verdade é que a isenção de retenção na fonte não é uma isenção de pagamento do IRS. O imposto ser-lhe-á cobrado na mesma, só que, em vez de o ser mensalmente, trimestralmente ou semestralmente, vai ser cobrado todo de uma vez no final do ano.

Quais são as taxas de retenção na fonte?

1.º - Rendimentos prediais (cat.F) – Não está sujeito a retenção na fonte (porque não se ultrapassaram os 10.000€ nesta categoria); 2.º - Serviços de consultadoria (cat.B) – Está sujeito a retenção na fonte à taxa de 25% (foram ultrapassados os 10.000€ nesta categoria).

Quais os requisitos fiscais que obrigam a retenção na fonte?

Há requisitos fiscais que obrigam à retenção na fonte. Depende apenas dos seus rendimentos estarem sujeitos ou não a este regime. Caso se aplique a retenção e não a faça, pode ser punido com uma multa de 375€ a 3750€ (para pessoas singulares) de acordo com n.º 2 do Art.º125 do RGIT.

Quais são as percentagens possíveis de retenção na fonte?

No total e de acordo com o artigo 101º do CIRS, há quatro percentagens possíveis de retenção na fonte: 25% para atividades profissionais que constem na lista do artigo 151º do CIRS;

Postagens relacionadas: